Uma reflexão para mentes e corações abertos

Evil Has No Boundaries

Me lembro quando comprei o disco do Slayer, como eu me divertia na época do heavy metal. Mesmo com a capa, músicas entituladas de The Antichrist, Black Magic, não estava nem aí pro satanismo. Na verdade, sempre nutri um medo e repulsa do diabo, pois representava a maldade. Tinha realizado a 1ª comunhão na igreja católica anos antes que me garantiram o mínimo de respeito por Deus. Usava camisetas com bode, pentagrama mas aquilo pra mim era apenas diversão e uma maneira inconsciente de chocar, provocar os padrões da sociedade. Muitos anos depois fui entender sobre o assunto e também descobri que muitos grupos de heavy metal apenas usavam elementos satânicos como alegoria, fantasia, estética e a maioria sequer era satanista, inclusive o vocalista/baixista do Slayer é católico e disse que acredita num Deus de amor. Mas isso é um outro assunto, apenas utilizei a música do Slayer que o título traduzido para a língua portuguesa significa: O Mal Não Tem Fronteiras para ilustrar e refletir sobre os dias de hoje.

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus” – 2 Timóteo 3:1-4

Claro que seres humanos com essas características sempre houveram na face da terra, inclusive houveram períodos extremamente violentos na chamada civilização. A história da civilização avançou com muito, mas muito derramamento de sangue. Até na tentativa de implantar a paz, a violência é utilizada. Na sociedade contemporânea num aspecto geral, devido à leis e estatutos criados de comum acordo, houve uma redução drástica na violência física aplicada na sociedade. Não é toda hora que você sai na rua e vê uma decapitação, enforcamento ou fuzilamento em praça pública, mas isso absolutamente não quer dizer que tais coisas não ocorram por aqui, mas de forma ilegal e mais discreta. Em países com regime político autoritário e conceito tribal milenar, ainda vigora o antigo Código de Hamurabi no seu estado mais puro. Mas vamos nos restringir apenas a realidade brasileira ou de cultura ocidental no séc. XXI.

A grande cegueira da nossa sociedade e também o baixo nível no parâmetro da maldade é que a esmagadora maioria da população tem culturalmente implantada em seu intelecto de que se ela não mata e não rouba, ela não é considerada uma pessoa do mal. A maldade só é identificada quando ocorrem situações mais graves, mas é na sutiliza e astúcia que a essência do mal consegue se implantar no coração humano o endurecendo de dentro pra fora. Qualquer pessoa que não se enquadra no estereótipo da pessoa má em nossa sociedade pode conter este sentimento oculto que se manifesta quando se menos espera. Seja numa criança de 5 anos de idade, numa velhinha fazendo compras no mercado, num pai de família levando seus filhos ao shopping center, e por aí vai…

“Qualquer que odeia a seu irmão é homicida.” – 1 João 3:15

Duras palavras do apóstolo João. Pois é, a palavra mata também. Proferimos palavras maldosas que causam um grande mal. Em casos extremos uma palavra maldosa pode levar uma pessoa ao suicídio. E mesmo em uma situação dessas ainda há quem diga (e não são poucas que afirmam isso) que o problema é da pessoa que se suicidou, porque era problemática, fraca, perturbada, etc e etc. Viu só? Mais maldade é gerada com um pré-julgamento pré-conceituoso e impiedoso. Mulheres e homens que tem sérios problemas em suas vidas por terem sido hostilizados por outros em relação à aparência (termo da moda: bullying). Independente do gênero sexual, vivemos em uma sociedade de aparências e a beleza estética humana é um fator ultra valorizado de uma forma tão doentia que ultrapassa as fronteiras do bom senso e chegam ter mais importância do que o bom caráter e as qualidades e capacitações. Nunca a aparência foi tão importante como nos dias de hoje. Isso chega refletir até na economia do país. Em meio a crise econômica mundial onde o Brasil sofre um impacto maior, o setor de beleza, estética e cosméticos segue praticamente imune, com crescimento de produção e lucros. Mas isso também é um outro assunto que pode amplamente ser analisado.

Voltando a questão da palavra que mata, num sentido mais amplo, elas estão presentes em nosso dia-a-dia tão perto e transitam de forma natural e não damos conta disso. As palavras mais comuns no cotidiano são as mentiras. Isso é tão comum que acaba sendo um mecanismo funcional como justificativa de trazer vantagem, benefício, etc (?!). Muitos vão recorrer aos exemplos extremos de mentira ligados à corrupção, fraudes, traições e geralmente os que utilizam esses exemplos, estão jogando uma cortina de fumaça na verdade. Vamos lá: Daí eu estou em casa ou no trabalho numa boa, sem fazer nada de importante e o telefone toca. Alguém atende e me chama dizendo que é tal pessoa. Na minha indisposição eu diria a clássica frase: “Diga que eu não estou”. A pessoa por distração ou omissão (bem, isso não importa), acata o meu pedido e despede a pessoa. Supondo que a pessoa que atendeu a ligação para mim venha me questionar o motivo de não querer atender, como se não fosse ruim o que fiz antes, diria: “Ah, é fulano de tal, ia ficar falando pra caramba, ia me tirar o sossego, me atrapalhar o serviço (caso eu estivesse no trabalho) e etc, etc…”. A coisa piora, além de ter mentido, fazer a pessoa que atendeu o telefone também mentir (nem sempre a pessoa tem a capacidade de se negar à isso e dizer para mim: “Não quero saber, atenda o telefone, pois não vou mentir”), ainda falo mal da pessoa de forma pública, mesmo que seja apenas para a pessoa que atendeu o telefone por mim. E esse tipo de situação acontece todos os dias como se não tivesse a menor importância, como se fosse um mecanismo necessário para o bem estar e bom andamento da sociedade. Sim, uma sociedade como o apóstolo Paulo descreve em sua carta à Timóteo, uma sociedade individualista que se apoia consciente ou não nos valores neo-liberais onde muitas vezes os meios ultrapassam os limites do que é justo para se atingir objetivos e satisfazer ambições. O bem estar tem que ser preservado, mesmo que isso custe o mal estar do seu semelhante. Afinal quantas vezes você já ouviu ou inclusive afirmou a clássica frase: “Se eu não cuidar de mim, ninguém vai cuidar?”. Quem ama e acredita em Deus tem a certeza que Ele cuida o tempo todo e mesmo pra quem não crê, se a pessoa não foi insensata a ponto de se isolar das pessoas, sempre tem alguém que dá uma mãozinha…

“Busca satisfazer seu próprio desejo aquele que se isola; ele se insurge contra toda sabedoria.” – Provérbios 18:1

“O Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam” – Salmos 118:7

Poderíamos ampliar o assunto em inúmeras argumentações mas tudo pode ser constatado na raiz de todos esses problemas, a falta do oposto da maldade: a bondade, o amor. Sim o amor resolve todos esses problemas e a falta dele logicamente cria toda a espécie de prejuízo à humanidade. O amor é tudo, como tenho proclamado abertamente aqui e no meu dia-a-dia,  mas não o amor de forma segmentada, mas digo o amor de Deus que já afirmei várias vezes em publicações anteriores aqui.

“Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.” – Mateus 5:42

Esta recomendação de Jesus é muito mais abrangente do que atender um simples telefone indesejado. E assim seguem as recomendações de Deus para agir com o verdadeiro amor. Os valores da humanidade ligados à política, economia são opositores à lei de Deus, pois o amar ao próximo como a si próprio que Jesus fala, nos faz renunciar nossas vontades e desejos pessoais em prol do bem estar de qualquer pessoa, principalmente aos que não são agradáveis para nós. É extremamente difícil amar como Deus nos ama, por nós mesmos, pois a nossa natureza humana luta contra isso, chega ser considerado loucura fazer o bem para alguém que te prejudicou e mesmo que faça, jamais se deve esperar uma medalha de honra ao mérito por tal feito, pois se fizer buscando reconhecimento, já não é amor, é interesse pessoal, é vaidade, é egoísmo. São poucas as pessoas que conseguem praticar esse tipo de amor só por elas mesmas, eu mesmo só consegui compreender e aceitar a verdade e aos poucos desenvolver este sentimento com a ajuda do Espírito Santo de Deus, sem ele, seria como qualquer pessoa cruel, que ama alguns que lhe são agradáveis.

Jesus: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” – João 15:5

É uma batalha diária contra a própria natureza humana e não deixar o mal estabelecer vizinhança em nossos corações. Mas se crermos em Jesus, com toda certeza esta guerra é ganha e o amor é que vence todo o poder da maldade.

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” – João 16:33

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” – Romanos 12:2

Tudo é uma questão de escolha, onde há o Espírito de Deus, há liberdade. A princípio pode ser uma loucura, até assustador, principalmente se não houver o elemento chave para lutar contra tudo isso: a fé. E a fé é loucura para a ciência, para a lógica humana, pois como teremos a certeza da existência de algo que nunca vimos?

“Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” – 1 Coríntios 2:14

“Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?
Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.” – 1 Coríntios 1:18-23

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.” – 1 Coríntios 1:25

Houve um tempo em minha vida que fui influenciado pela literatura beatnik do anos 50 e me aventurei pelo laboratório de expansão da consciência através de elementos químicos, como drogas sintéticas, LSD, barbitúricos, naturais como THC, elementos alucinógenos presentes em cogumelos que são usados por outras culturas para contactar o mundo espiritual. Isso também me levou a pesquisar religiões para entender o mundo espiritual. Afirmo categoricamente que nenhuma dessas aventuras me proporcionou a resposta que procurava e a maioria dessas opções me trouxeram problemas e perca de tempo. Com muita relutância e pré-conceito, procurei Jesus, o Cristo e com toda a certeza, foi a melhor “loucura” que aconteceu em minha vida e não me arrependo, jamais.

Mas é claro, todas as pessoas são livres pra escolher. Se não quer acreditar em Deus, tente amar as pessoas e fazer o bem, tente resistir ao individualismo doentio dos dias de hoje, não julgue as pessoas e deixe elas viverem de acordo com o que elas acreditam, não busque a vingança contra as injustiças cometidas contra você, não perca tempo pensando ou falando mal de alguém, se não é possível ter compaixão, apenas ignore, se acha que é melhor que essa pessoa que te fez mal, porque pensar nela? Se não acredita que há vida após a morte, não perca seu tempo com sentimentos ruins, porque se não há vida pós morte, já era! Acredita em re-encarnação? Mesma coisa, ter que voltar de novo pra cá até ser aperfeiçoado e passar por várias aflições? Não é melhor se esforçar para praticar o bem e passar para um plano mais evoluído?

Praticar o amor em atitudes e não só palavras bonitas, é o único antídoto contra a maldade, para os que amam à Deus e os que não acreditam. Sejam de paz vossos pensamentos!

Jesus: “…e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” – Mateus 28:20

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s