Uma reflexão para mentes e corações abertos

“O meu reino não é deste mundo” – João 18:36

“Well, I just want to walk right out of this world,
‘Cause everybody has a poison heart.
I just want to walk right out of this world,
‘Cause everybody has a poison heart,
a poison heart, a poison heart, a poison heart …”
Eu não sei dizer o que Dee Dee Ramone sentia quando escreveu esta canção, mas de algum modo, faz sentido com o evangelho de Jesus Cristo. Apesar de Dee Dee ter nos deixado numa circunstância muito triste, espero que naquele momento, não estivesse com tristeza no coração. Não encaro a letra de Poison Heart como uma carta de conteúdo suicida, mas de alguém que deseja um mundo melhor.
Jesus disse que seu reino não é deste mundo. Este mundo, isto é, a humanidade fez a sua escolha de viver de acordo com seus próprios valores, ideais, leis. O que me entristece é ainda haver muitas pessoas que acreditam que as religiões são um grande causador do mal neste mundo. Ora, de um ponto de vista em particular e restrito, até existe um fundamento nisso, desde que estejam se referindo à religião como instituição criada pelo ser humano. Não creio que os deuses das religiões ordenam seus fiéis matarem, roubarem, enganarem, mentirem, cobiçarem, serem materialistas, egoístas, vaidosos ao extremo, violentos. Como não conheço profundamente as doutrinas das religiões em geral, vou apenas abordar o que diz respeito à Deus e Jesus Cristo.
“E disse o SENHOR a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles. Conforme a todas as obras que fizeram desde o dia em que os tirei do Egito até ao dia de hoje, a mim me deixaram, e a outros deuses serviram, assim também fazem a ti. Agora, pois, ouve à sua voz, porém protesta-lhes solenemente, e declara-lhes qual será o costume do rei que houver de reinar sobre eles. E falou Samuel todas as palavras do SENHOR ao povo, que lhe pedia um rei. E disse: Este será o costume do rei que houver de reinar sobre vós; ele tomará os vossos filhos, e os empregará nos seus carros, e como seus cavaleiros, para que corram adiante dos seus carros. E os porá por chefes de mil, e de cinqüenta; e para que lavrem a sua lavoura, e façam a sua sega, e fabriquem as suas armas de guerra e os petrechos de seus carros. E tomará as vossas filhas para perfumistas, cozinheiras e padeiras. E tomará o melhor das vossas terras, e das vossas vinhas, e dos vossos olivais, e os dará aos seus servos. E as vossas sementes, e as vossas vinhas dizimará, para dar aos seus oficiais, e aos seus servos. Também os vossos servos, e as vossas servas, e os vossos melhores moços, e os vossos jumentos tomará, e os empregará no seu trabalho. Dizimará o vosso rebanho, e vós lhe servireis de servos.” – 1 Samuel 8:7-17
Pois é, é o tal do livre arbítrio, o direito de liberdade que tantos exigem. Outros ainda, querem ser livres a ponto de não terem nenhum dever a cumprir, que não devem obedecer nada. Fico imaginando que tipo de educação tiveram de seus pais. Bem, como o texto acima mostra de forma muito direta e clara, Deus não obrigou ninguém a nada e ainda avisou ao povo sobre as consequências de ter um ser humano como senhor de suas vidas. Da mesma forma ocorre em outras formas de sociedade, seja um regime comunista, imperialista, parlamentarista, capitalista. “Ah, mas não concordamos com essas opções, queremos um regime anarquista, poder para o povo, etc”. Então você acredita que a humanidade tem condições de viver assim? Você acredita que o ser humano possa por ele mesmo romper com sua própria natureza individual para este tipo de governo ser implantado? Muitas vezes uma simples banda de punk rock não consegue viver isso.
Então alguém na multidão reclama e exige explicações porquê as coisas estão dando errado e porquê Deus não faz nada.
“Então naquele dia clamareis por causa do vosso rei, que vós houverdes escolhido; mas o SENHOR não vos ouvirá naquele dia. Porém o povo não quis ouvir a voz de Samuel; e disseram: Não, mas haverá sobre nós um rei. E nós também seremos como todas as outras nações; e o nosso rei nos julgará, e sairá adiante de nós, e fará as nossas guerras. Ouvindo, pois, Samuel todas as palavras do povo, as repetiu aos ouvidos do SENHOR. Então o SENHOR disse a Samuel: Dá ouvidos à sua voz, e constitui-lhes rei.” – 1 Samuel 8:18-22
O pior é que isso de culpar a suposta omissão de Deus vêm dos que não acreditam que ele existe. Já não deu este assunto? Por que se perde tanto tempo se não acreditam que Deus existe? Simplesmente IGNOREM e ASSUMAM suas RESPONSABILIDADES, HUMANIDADE!
Deus sofre com as injustiças na humanidade, Deus sofre quando inocentes morrem. Ele não age por conta de sua justiça, ele concordou com o livre arbítrio que o ser humano exigiu e o ser humano tem que se responsabilizar pelos seus atos e arcar com suas consequências. Deus deu liberdade para todas as pessoas deste mundo, inclusive para os cristãos, evangélicos e católicos. Os que fazem uso indevido de seu nome, colheram, colhem e colherão o fruto do que semearam.
OK, vamos ao que interessa, Jesus disse que o Reino de Deus não é deste mundo. Então daqui em diante, como sempre recomendo, aos que não acreditam em Deus, (creio que a esta altura, quem ainda acompanha este weblog, tenha fé espiritual) não perca tempo precioso com restante do texto.
Já faz um tempo que a soiedade em geral tem combatido a tal da “bancada evangélica” em Brasilia. Talvez eu escreva mais detalhadamente sobre eles em outro post se for necessário. Em primeiro lugar, quantas vezes vou ter que repetir, pessoas são pessoas, não dá para generalizar por conta de religião, partido ou o que quer que seja. (talvez eu tenha que repetir 70X7, como Jesus recomendou). Alguns irmãos de fé me dirão que a bancada deve existir e que a igreja isso e aquilo, tem que ter representação no governo. Uma pinóia! O papel da igreja de Jesus Cristo é anunciar as Boas Novas do Reino de Deus (que não é deste mundo), o amor de Jesus Cristo, a vida eterna, a libertação das consequências dos erros cometidos e a verdadeira religião, a própria bíblia explica:
“A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” – Tiago 1:27
Existem líderes evangélicos que argumentam muitas coisas para justificarem suas atitudes. Ok, o evangélico não deixa de ser um cidadão brasileiro e o verdadeiro cristão não pode ter vida dupla, ou seja, é uma coisa na congregação e outra no dia-a-dia. Mas eu discordo totalmente de pastores usarem seus títulos eclesiásticos na política, no seu cargo secular. O evangélico que trabalha como servidor público, tem o dever de atender as necessidades do cidadão brasileiro, seja ele de qualquer cor de pele, religião, sexualidade, etc. Se a sociedade quer algo que vá contra seus valores, o funcionário público evangélico tem o direito de não concordar, não aceitar em sua vida particular, mas jamais atacar, ofender e usar de seu cargo para combater a opção da população. Veja o caso do povo hebreu que não queria que Deus fosse seu rei, em poucas palavras, Deus disse que o povo estaria por sua própria conta. Que assim seja.
“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” – 1 Timóteo 2:1-4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s