Uma reflexão para mentes e corações abertos

A velha questão do dízimo

bag_of_moneyO alvo predileto dos incrédulos para difamar a igreja de Cristo: o dízimo. Quantas vezes não deparamos com declarações sobre isso? Pastores que exploram até o último centavo os pobres fiéis para viverem no luxo, etc. De fato isso acontece, mas não é uma unanimidade! Como em qualquer setor da sociedade, existem pessoas de todo tipo de caráter. Mas como se trata de evangélicos, há uma clara perseguição. A igreja católica também arrecada seu dízimo e outras religiões também.

Mas não é sobre isso que desejo falar aqui. Digamos que isso é um assunto interno, ou seja, para quem faz parte do corpo de Cristo, que é evangélico, porém, está aqui para qualquer pessoa ler. O dízimo foi oficializado no Antigo Testamento, quando o povo Hebreu foi dividido em 12 tribos para habitar na terra prometida, mas só uma tribo, a de Levi, não poderia possuir suas terras para produzir, pois se dedicaria integralmente ao sacerdócio e residiriam onde se estabeleceria o tabernáculo de Deus. Então as outras 11 tribos sustentariam os sacerdotes e o tabernáculo com 10% do fruto do seu trabalho, o dízimo. E os tais 10% não eram necessariamente dinheiro.

Atualmente muitas igrejas quando vão oferecer dízimos e ofertas nos cultos, muitos fazem a leitura de um trecho do livro do profeta Malaquias para legitimar o procedimento. Só que há um grande porém no fato de ler este texto. Em primeiro lugar, é mais do que necessário ler e entender todo o contexto, antes de sair usando versículos isolados das escrituras para justificar, ilustrar e até legitimar algo. No caso do texto de Malaquias, o livro se dirige ao povo israelita, aos sacerdotes que na época, tinham desonrado seu compromisso com Deus e não praticavam a lei em que concordaram seguir, desde os tempos de Moisés. O uso equivocado deste texto nos dias de hoje para a igreja, é a causa de muitos males.

“Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra;” –  Malaquias 3:8-11
Agora veja no Novo Testamento, quando a igreja de Cristo já estava estabelicida, o que o apóstolo Saulo (Paulo) diz:
“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” –  2 Coríntios 9:7
Depois que a igreja ouve o texto de Malaquias, provavelmente cada pessoa vai pensar consigo mesma sobre a questão de “roubar à Deus”. Vai pensar que além de roubar à Deus, ele vai ser amaldiçoado, isso vai gerar tristeza e medo. Depois vai gerar necessidade, pois não quer que o devorador consuma suas posses e vai exigir de Deus que lhes abram as janelas do céu para receber as bençãos e muitas vezes, querem bençãos materiais, como se o dízimo e a oferta  fosse um fundo investimento, um plano de capitalização como nos bancos.  Muitos irmãos e pastores vão tentar argumentar que não é bem assim e tudo mais. Mas me perdoem, o que o Espírito Santo revela através da Palavra de Deus é claro como o sol do meio dia:
“Não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido; E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará. Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.” –  2 Coríntios 3:13-17
Na bíblia, quando se usa o termo gentio, se refere aos povos que não eram de descendência direta israelita. E veja o que está escrito:
“Todavia, quanto aos que crêem dos gentios, já nós havemos escrito, e achado por bem, que nada disto observem; mas que só se guardem do que se sacrifica aos ídolos, e do sangue, e do sufocado e da prostituição.” –  Atos 21:25
No texto de Atos os apóstolos recomendam que os novos fiéis que não eram judeus, não precisavam cumprir os costumes dos judeus, como a circuncisão.
Mas o que quero dizer com tudo isso? Ora, está bem claro que Deus não quer que você faça nada por obrigação, ainda mais nesta questão de colocar a mão no bolso. O cristão consciente sabe que a igreja de Cristo não é uma empresa que vende produtos, mas o templo paga IPTU, contas de água, luz, telefone, aluguel para estar sempre à disposição da igreja e das pessoas. Fora o fato das obras assistenciais, como doações de cestas básicas, roupas, etc.
A igreja de Jesus não começou com um templo com uma placa na frente, mas nas casas dos fiéis que eram perseguidos pelos sacerdotes judeus e o império Romano. Então passavam por muitas necessidades e isso gerou uma atitude entre eles que está relatada aqui:
“Todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo.” –  Atos 2:44-47
Se a pessoa por sua própria decisão se propor a dar o dízimo, é válido e será bem recebido por Deus, mas lembre-se sempre: Cada um contribua segundo propôs no seu coração. Não com tristeza, ou por necessidade, porque Deus ama ao que dá com alegria.
Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade.

Uma resposta

  1. Boa essa explanaçâo.

    24 de março de 2013 às 7:52 AM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s